Erick Vinícius On junho - 4 - 2011

Túnel do Tempo | (1962) Amazing Fantasy #15 (Parte 1)

Fala Aracnofã!

Estamos inaugurando uma nova área no blog chamada Túnel do Tempo.
Basicamente o que faremos será postar os resumos de todas as revistas relacionadas ao Homem-Aranha na ordem cronológica de lançamento!
A idéia inicial é essa. Vamos ver se desdobrará para outras coisas…..

Para começar, vamos voltar a 1962 com a revista que deu origem a esse grande herói, Amazing Fantasy #15.

Revista: Amazing Fantasy #15 (1ª História)
Importante: Primeira aparição e origem do Homem-Aranha
História: Homem-Aranha!
Título Original: SPIDERMAN!
Edição: Stan Lee
Roteiro: Stan Lee
Arte: Steve Ditko
Capa: Jack Kirby
Tipo: Revista Titular
Lançamento: Agosto de 1962

No Brasil, a revista foi publicada nos seguintes títulos:

Homem-Aranha #44
Data de publicação: Agosto de 1982
Editora: RGE

Capitão América (1ª Série) #100
Data de publicação: Setembro de 1987
Editora: Abril

Homem-Aranha (1ª Série) #92
Data de publicação: Fevereiro de 1991
Editora: Abril

Spider-Man Collection #1
Data de publicação: Janeiro de 1996
Editora: Abril

Biblioteca Histórica Marvel – Homem-Aranha #1
Data de publicação: Julho de 2007
Editora: Panini

Se souber de mais alguma revista onde essa história foi publicada, nos avise através dos comentários

Resumo

Na primeira página, Steve mostra um grupo de adolescentes felizes de um lado, enquanto um jovem com óculos, triste, se destaca do outro. Por trás desse jovem, uma grande sombra paira. Uma silhueta de um homem cercado por uma rede com uma grande aranha pendurada acima dele.

Um membro do grupo de jovens diz que eles precisam de “mais um cara pro baile” e sugere Peter Parker. Um adolescente de aparência presunçosa, vestindo um suéter listrado azul e branco (que mais tarde descobriremos que é Flash Thompson), zomba o chamando, dizendo que “aquele traça-livros nao sabe a diferença entre valsa e rock’n roll”. Uma garota loira atraente (que depois descobrimos ser Liz Allan), fala que Peter Parker “é o cara mais caxias do Colégio Midtown!”

Assim, Peter não é o garoto mais popular no colégio, mas seu Tio Ben e a Tia May o consideram “um rapaz muito especial”. Brincam com ele, quando é hora de se levantar de manhã (“Puxa, tio Ben, você é pior que um monte de despertadores juntos! “) e dando-lhe para comer “seu café da manhã favorito… panquecas”. (“Não o faça comer demais, querida! Daqui a pouco ele estará mais forte do que eu!”). É interessante notar a referência indireta aos poderes que Peter ganhará um pouco a frente dessa mesma história presente nas palavras do tio Ben. No original, a fala é que “daqui a pouco não conseguirei vencer ele numa luta”, o que faz uma outra referência: às lutas de vale-tudo. Parece improvável que isso foi uma coincidência.

O corpo docente da escola também está impressionado com o Peter. Um professor de química careca e bigodudo que um dia descobriremos que é “Warren” (não o Prof. Warren, Chacal, e sim seu irmão, conforme revelado em Untold Tales of Spider-Man #96) diz para Pete continuar com o bom trabalho que, com certeza, ganhará uma bolsa de estudos quando se formar (o que realmente acontece).

Mas Pete não é respeitado pelos colegas da sua idade. (Talvez seja a calça azul, colete preto, camisa branca e gravata vermelha listrada que ele veste o tempo todo. Não é o mais a roupa mais na moda, mesmo em 1962). Quando ele pergunta uma jovem mulher chamada Sally se quer sair com ele, ela lhe dá um fora e fica com Flash Thompson. Flash humilha Pete e, quando o nosso tímido herói tenta chamar outros jovens interessados em participar de uma exposição na Feira de Ciências, ele riem. (“Você fica com a ciência, meu filho! Vamos ficar com as garotas!”, diz um zombador sem nome.) Peter, em lágrimas e promete que “algum dia eles vão se arrepender” e vai para a Feira de Ciências sozinho. O título da exposição é “Experimentos radioativos“.

A demonstração começa. O grupo fica em torno de uma máquina de tamanho indeterminado, que tem o que se parece com dois balões vermelhos posicionado a alguns centímetros um do outro. A idéia é demonstrar o controle de “raios radioativos“, com eles saltando entre os dois balões. Mas uma aranha desce entre os dois balões no momento em que a radioatividade é desencadeada. O abalo radioativo mata a aranha assim que ela pica o ser vivo que está mais próximo (vocês sabem quem).

Como resultado da mordida, o pobre Peter se sente tonto e enjoado. O homem que fazia a demonstração diz que aparentemente “a experiência foi emocionante demais para o jovem Parker”, mas sabemos que foi muito mais do que isso. Peter anda sem rumo pela rua e, percebendo algo estranho pensa que é “como se meu corpo inteiro estivesse carregado com um tipo fantástico de energia”. Ele está tão envolvido nessa sensação que não vê o sedan azul indo na direção sua direção. Ele se desvia, pulando, no último instante, descobrindo que é capaz de fixar na parede de um prédio próximo. Ele sobe até o topo do mesmo e, sobre o telhado, esmaga um “tubo de aço como se fosse de papel”. Ele rapidamente percebe que adquiriu todas as habilidades da aranha que o mordeu e volta para a rua, tentando imaginar o que fazer com “estes poderes incriveis que ganhei!”

Poucos minutos depois ele se depara com um concurso de vale tudo. O cartaz diz “100 dólares para que aguentar 3 minutos no ringue com o Esmagador Hogan” e Peter decide que esta é uma boa maneira de testar o seu poder. Ele corre para casa e coloca algumas roupas velhas. Com medo de que ele possa ser alvo de risadas, ele se disfarça, cobrindo a cabeça com o que parece uma meia arrastão. Minutos depois, ele está no ringue, desafiando o Esmagador Hogan. O Esmagador pensa que tem uma presa fácil, mas quando ele se move, o adversário pula sobre a sua cabeça. O homem mascarado pega Hogan com facilidade e faz a festa. O Esmagador, aterrorizados com tudo aquilo, admite de imediato a derrota. A multidão delira a cada segundo. Espetacular! Nunca vi nada igual!”, diz um deles. Fantástico! E aquela máscara o deixou com a dose certa de mistério!”, diz outro. Mas um homem, fumando um charuto e vestido com um terno roxo, chapéu de laço vermelho e gravata azul, pensa ter encontrado exatamente o que estava procurando. Quando Peter, mascarado, conta seus ganhos, o homem se apresenta como um “produtor de TV” e diz ao rapaz que ele “vai arrasar no Ed Sullivan Show!”

Em casa, Pete decide aprimorar sua aparência, criando uma fantasia baseada na aranha. Tia May e Tio Ben chegam com “algumas bolachas e leite”, mas não parecem notar a máscara de Pete está segurando. Sozinho novamente, Peter testa sua teia e seus lançadores de teia, que ele montou rapidamente. “Eles riem tanto de mim por ser estudioso mas só mesmo um gênio poderia criar um aparelho como esse, né?”, ele diz, “humildemente”. Ele veste sua roupa e atira teia para cima, usando seus poderes para ficar no teto. “Se prepara mundo”, Diz ele, “Aí vem o Homem Aranha!” (No original, é grafado Spiderman, sem o tradicional hífen separando as palavras).

 

Assim termina uma parte da história, toda feita perfeitamente em seis páginas.

Quero deixar meus agradecimentos ao Bruno Guimarães (@Rubnox) que ajudou bastante nos diálogos!

Fiquem ligados que em breve publicaremos a segunda parte de Amazing Fantasy #15 e mais, muito mais!

ATUALIZAÇÃO: Confira a parte 2

ATUALIZADO EM 05/12/2011 COM A ADIÇÃO DO TÍTULO ORIGINAL

Sobre o Autor

Erick Vinícius tem 31 anos, é cristão, formado em Engenharia Elétrica, projetista de esquemas elétricos de automóveis e, logicamente, maluco pelas histórias do Homem-Aranha!

VÍDEOS

Navegador de Podcasts





PADRIM

Padrim3

Visite Nossa Loja Virtual

Loja Virtual

CANAIS

Feeds Twitter You Tube Instagram Facebook

Fan Page

9ª Arte