Ewerton On maio - 14 - 2012

Review | Homem-Aranha (2002) #60

Salve meus queridos leitores do Aracnofã. Vocês estão sentiram minha falta por aqui?! (É claro que não!). Agora vou voltar a postar as reviews que vocês se acostumaram a ler por aqui durante um tempo e hoje vim postar hoje a review da Saga O Outro – Evolução ou Morte, saindo um pouco da ordem que eu estava postando, mas isto é para promover a promoção que a Comic Box e a Comic City estão realizando (se ainda não conferiu a promoção, clique aqui), então vamos logo ao que interessa.

A HQs que abre essa saga, que traz grandes mudanças ao nosso herói aracnídeo foi é o Homem-Aranha #60 lançada pela Panini em Dezembro de 2006 pelo valor de R$6,90 e com 100 páginas em sua composição.

A história que abre essa edição é Choque e temos o surgimento de um novo vilão na área: Rastreador. Ele fere o Aranha com suas balas rastreadoras e, ao ser examinado, o herói descobre que está doente. – Originalmente publicada em Friendly Neighborhood Spider-Man #1. 

A segunda história dessa edição e que compõe a segunda parte da saga O Outro é Negação onde o Rastreador prova ser um inimigo à altura do aracnídeo e continua a dar trabalho. Enquanto isso, Peter entra na primeira fase psicológica de toda pessoa quando descobre que tem uma doença séria: nega para si mesmo e aos parentes a existência da doença. – Originalmente publicada em Marvel Knigths Spider-Man #19. 

E a história que mostra a terceira parte desse arco é Raiva e o Rastreador continua dando trabalho e cria um tumulto na cidade para invadir a Torre dos Vingadores e atacar o Aranha. Ao final desse episódio, Peter não tem mais como negar aos familiares e amigos o terrível estado físico em que se encontra. – Originalmente publicada em The Amazing Spider-Man #525.

Como vocês devem ter notado, eu não dei nota para cada história em si, apesar de as 3 histórias terem sido publicadas em publicações distintas, fazem parte do mesmo arco de histórias, então deixei para dar meu veredicto final agora, assim poderia analisar as 3 partes da história publicadas até aqui de maneira completa, então a minha nota para as primeiras três partes do arco O Outro: Evolução ou Morte é… Nota: 4,3 (Lembrando que as notas vão de 0 a 5).

A história que fecha essa edição é Pulse que mostra um encontro entre a mais antiga mãe do Universo Marvel, Susan Richards, a Mulher Invisível do Quarteto Fantástico, e Jessica Jones, que está para se tornar a mais nova mãe deste universo. Ao final do capítulo, Jessica entra em trabalho de parto. – Originalmente Publicada em The Pulse #11. Nota: 2,5

Pontos Positivos: O começo de O Outro, a megassaga que vai mudar “para sempre” a vida do Homem-Aranha é um exemplo, pois começa muito bem. De cara, há um retorno ao verdadeiro Peter Parker, sempre pensando mil coisas, preocupado com tudo, esperando o momento que o seu tradicional azar vai atacar – o que, claro, acontece.

Pontos Negativos: Apesar de a revista brasileira ter uma história só, contínua, nos Estados Unidos ela se desenvolveu nos diversos títulos do Aracnídeo, com diferentes desenhistas. Não que fosse necessário (ou possível) ter só um artista, mas a Marvel deveria se organizar para ao menos garantir uma identidade visual. Todos os traços têm suas peculiaridades, méritos e defeitos; e funcionam à sua maneira, mas, de forma alguma, conversam entre si. Isso deixa o leitor perdido: por um lado a história continua normalmente, mas o visual, a narrativa, são totalmente díspares.

Nota Geral: 3,4.

Nesse grande arco O Outro: Evolução ou Morte temos finalmente um novo vilão decente. O roteirista J Michael Straczynski já criou uma dezena de novos aracno-vilões, mas nenhum deles chega aos pés do que é apresentado aqui. E só mesmo Peter David para criar um inimigo desse quilate.

Aqui começa a saga O Outro, embora ainda não dê para saber por que deram esse nome à aventura. Nela, o Aranha descobre que está doente, mas nesses primeiros episódios não é revelado do que ele sofre. A deterioração do herói é mostrada de forma satisfatória e sem esquecer que se trata de um personagem de ação, ou seja, não pode deixar de haver batalhas entre bandido e mocinho. Uma proposta ousada e até aqui muito bem executada.

Os desenhos de Mike Wieringo estão dentro dos padrões aceitáveis da indústria de histórias em quadrinhos norte-americanos, mas essa história merecia alguém mais inspirado. O desenhista tenta retratar o Homem-Aranha mais humano, mesmo quando está de uniforme. O herói não tem tantos músculos como no traço de outros artistas, parece um cara normal com uma roupa colante. Essa foi exatamente a idéia na qual o personagem foi concebido, mas fica difícil retratá-lo desse jeito agora que é um vingador, grupo cujos integrantes são conhecidos como “os heróis mais poderosos da Terra”. Roteiro legal com arte regular “dá pra ler”.

Outro ponto a se frisar são os títulos de cada história que são os primeiros estágios pelos quais o paciente terminal passa, segundo a psicologia hospitalar: Choque, Negação e Raiva. Se isso se mantiver, teremos história até o estágio final, a Aceitação… Enfim, bom roteiro e bons desenhos (cada edição é feita por um artista de estilo completamente diferente, mas isso acaba dando um ar todo especial à trama, ao se poder compará-los) fazem deste um arco imperdível para quem gosta do Aranha. Leitura recomendada.

E na história que fecha a edição Homem-Aranha #60 temos The Pulse. Jessica Jones passa um dia agradável com Carol Danvers e Susan Richards, enquanto Ben Urich investiga um estranho caso de um personagem retirado dos recônditos esquecidos de algum baú da Marvel… E é só. Uma história que daria um perfeito “sitcom”, se não fosse um gibi. Até que pode servir para dar uma aliviada, após as três histórias tensas do Homem-Aranha, mas de relevante até agora, apenas o nascimento (finalmente) do bebê de Jessica e Luke Cage. A arte é meio estranha à primeira vista, com um tom meio sombrio, ainda mais para uma história que se passa totalmente durante o dia, mas tudo bem, até que “dá para o gasto”. Leia a título de curiosidade, sem expectativa alguma a mais que isso.

Finalizo aqui essa review, vamos ver o que a continuação dessa saga O Outro nos reserva, pois a princípio eu gostei dessa saga e parece que nos reserva grandes surpresas, então fiquem atentos, pois ao longo da semana irei trazer as 3 Reviews restantes que fecham esse arco de histórias. Então, até lá galera.

 

Sobre o Autor

Tenho 21 anos, sou fã ávido de HQs e afins, aspirante a Engenheiro, viciado em games, internet e livros. Especialista em Xbox 360. Sou apenas mais um fã do Homem-Aranha neste enorme mundo.

VÍDEOS

Navegador de Podcasts





PADRIM

Padrim3

Visite Nossa Loja Virtual

Loja Virtual

CANAIS

Feeds Twitter You Tube Instagram Facebook

Fan Page

9ª Arte