Ewerton On maio - 16 - 2012

Review | Homem-Aranha (2002) #61

Olá galera, hoje estarei dando continuidade a publicação das reviews do Homem-Aranha com a saga O Outro – Evolução ou Morte, então sem mais delongas e vamos logo ao que realmente interessa.

Temos agora a review da edição Homem-Aranha #61 lançada em Janeiro de 2007 pelo valor de R$6,90 e com um total de 100 páginas. Como na edição anterior, vou dar a nota final, analisando as três histórias que compõe a saga, ao invés de analisar cada história individualmente.

A história que abre essa edição mostra a quarta parte da saga O Outro: Evolução ou Morte. Contra o Relógio temos Homem-Aranha doente e morrendo, então recorre aos maiores cientistas do mundo, mas não ouve nada que o anime. – Originalmente publicada em Friendly Neigbhoord Spider-Man #2.

Na segunda história dessa edição e na quinta parte da saga temos a história Estratégia nosso escalador de paredes começa a se despedir da vida de uma forma especial: usando a máquina do tempo do Doutor Destino para relembrar seus melhores momentos. – Originalmente publicada em Marvel Knights Spider-Man #20. 

E fechando as publicações da saga O Outro desta edição temos Confronto onde as esperanças que o aracnídeo tinha de morrer dormindo vão por água abaixo… Ressurge Morlun, um vilão determinado a tornar muito dolorosa a passagem do Aranha para a outra vida. – Originalmente publicada em The Amazing Spider-Man #526. Nota: 4,0  

Fechando essa edição temos mais uma história de The Pulse a ex-heroína Jessica Jones está em trabalho de parto, mas é rejeitada por um hospital comum, pois a diretora do local ficou com medo de que o filho fosse um mutante e transmitisse radiação aos outros pacientes. O Doutor Estranho é então acionado para cuidar do nascimento… Enquanto isso, o repórter Ben Urich vai atrás do Demo, ex-vingador que agora vive nos esgotos. – Originalmente publicada em The Pulse #12. Nota: 3,2

Pontos Positivos: O Outro tem se revelado uma boa surpresa. Até agora, cada ato, composto por três partes, foi escrito por um roteirista. Nesta edição o roteiro é de Reginald Hudlin. Ele trabalha a trama num ritmo bem mais lento do que o adotado por Peter David na edição passada e praticamente cortou as piadas e o tom de humor comum ao personagem. E acertou em cheio.

Pontos Negativos: Na arte, continuam os problemas da edição anterior. Os três desenhistas têm estilos tão dispares, que a mudança chega a causar estranhamento.  Além disso, houve uma má estratégia editorial. Mesmo Deodato dando muito impacto para o final, como Pat Lee (o mais fraco deles) se sai melhor em histórias de ritmo intenso, teria sido melhor que ele fizesse a última parte. A segunda ficaria com o brasileiro, pois seu desenho fotográfico se adapta às cenas que exigem mais emoções do que ações.

Nota Geral: 3,6

Nessa segunda publicação trazendo a saga O Outro: Evolução ou Morte e com um prognóstico totalmente desfavorável, Peter, devido à intervenção de tia May, busca ajuda entre os colegas super-heróis. Com a situação praticamente imutável, o herói acaba por aceitar seu destino e passa a dar valor às coisas simples da vida, até que Morlun finalmente o ataca. 

Enquanto David resgatou o lado mais clássico do herói, com seu bom humor, apesar de tudo de ruim que acontece em sua vida, Hudlin buscou a veia romântica, saudosista e emocional do Aranha.

As duas primeiras partes são bem paradas e, mesmo com algumas coisas meio forçadas, como a Tia May e Mary Jane em armaduras antigas do Homem de Ferro, estão interessantes e criam um ótimo clima.

A ação retorna com a luta contra Morlun. Novamente se destaca uma das tantas características que marcam o herói: seu desejo de viver e a força que encontra para lutar, mais do que qualquer um acharia possível.

O final é chocante, apesar de qualquer um saber que a Marvel não mataria sua “galinha dos ovos de ouro” e que até o final da saga Peter terá vencido tanto Morlun quanto a doença que os especialistas dão como incurável. Ainda assim, a narrativa empolga o leitor.

Encerrando essa edição temos The Pulse e a história deu uma melhorada comparada à anterior, mas o que dá mais charme à trama é a investigação de Urich, afinal o que está havendo com esse herói que ressurgiu? Um super-herói sem-teto e que rouba as pessoas que salva? Outro fato digno de nota é o preconceito sofrido por Jessica no hospital, com a direção do local com medo do bebê que possa vir a nascer, apesar dos esforços do médico. A propósito, pelo jeito como a equipe em torno de Jessica fala, parece que no Universo Marvel já existe a especialidade médica de “neonatologia mutante”. Não deixa de ser risível. Os desenhos ainda mantêm aquele tom sombrio; combinam na parte de Urich, destoam na parte da Jessica.

E está encerrada mais uma review por hoje galera, fiquem ligados pois sexta-feira (se tudo ocorrer bem) estarei trazendo à vocês a terceira review que compõe está saga, então até lá pessoal.

Sobre o Autor

Tenho 21 anos, sou fã ávido de HQs e afins, aspirante a Engenheiro, viciado em games, internet e livros. Especialista em Xbox 360. Sou apenas mais um fã do Homem-Aranha neste enorme mundo.

VÍDEOS

Navegador de Podcasts





PADRIM

Padrim3

Visite Nossa Loja Virtual

Loja Virtual

CANAIS

Feeds Twitter You Tube Instagram Facebook

Fan Page

9ª Arte