Matheus Pessôa On julho - 7 - 2012

O Espetacular Homem-Aranha

Parceria com Nerds Working, compartilhando a crítica !

‘O Espetacular Homem-Aranha’ (The Spetacular Spider-Man,2012) estreou nessa sexta feira nas salas de cinema de todo o Brasil. Muita expectativa rondava esta produção da Sony Pictures, um ‘reboot’ nas telonas idealizada pela produtora para tentar melhorar as vendagens e até mesmo as histórias do Aranha. Por um motivo ou por outro, os filmes anteriores não agradaram muito ao público por mostrar Peter Parker já numa fase de transição entre a adolescência e a vida adulta, com as tais ‘responsabilidades’ que viraram um ícone do heroi, palavras proferidas pelo próprio Ben Parker em Homem-Aranha (Spider-Man, 2002), na que foi a primeira saga do aracnídeo nos cinemas.

Mas enfim, este é o passado.  ’O Espetacular Homem-Aranha’ é o presente. É o que temos de mais atual do Homem-Aranha nos cinemas. A expectativa era grande. A produção prometia muito. A promessa de algo mais novo e jovem, a aposta em Andrew Garfield no papel principal e Emma Stone no papel de Gwen Stacy. A promessa de algo grandioso. À altura do Homem-Aranha.

Afinal, a espera foi recompensada ? Leia e descubra.

Bom, vou ser curto e grosso: não. Desculpe se criei certa expectativa em você, caro internauta, com a introdução acima. Na verdade, isso ainda pode ser resgatado se você não tiver conhecimento sobre as histórias do Aranha nos quadrinhos, como explicarei a seguir.

Peter Parker é picado por uma Aranha radioativa e se torna o Homem-Aranha. Aquele jovem que sofria bullying na escola e era intimidado por seus colegas agora tinha o poder de revidar e se mostrar com uma ‘cara nova’ aos que estudam no Colégio Midtown. Vemos o desenvolvimento de suas relações com os colegas e principalmente com a maravilhosa Gwen Stacy (Emma Stone), que é a primeira paixão do nosso herói.

Vamos começar falando dos pontos positivos do filme. As atuações são muito boas, ainda mais porque os personagens principais da trama são parecidos com os das revistas em quadrinhos. É só você olhar para a excelente Emma Stone na tela do cinema que você claramente pode identificar Gwen Stacy, se souber o mínimo sobre o universo de Homem-Aranha. Andrew Garfield também se mostrou uma boa escolha para o papel, embora às vezes faça muitas caretas durante o filme (mas isso é o de menos). A maneira como Gwen e Peter se relacionam também é um ponto forte no filme, e é algo totalmente herdado de Marc Webb, que havia dirigido 500 Dias Com Ela e que usou esse modelo para fazer os diálogos entre o par amoroso no desenrolar dos acontecimentos. Depois de sua transformação, vemos um Peter realmente ‘badass’, diferente da outra trilogia; Até mesmo contra os bandidos ele passa a fazer as clássicas brincadeiras e piadinhas, como nos quadrinhos.

Outra boa coisa a ressaltar é a evolução dos quesitos técnicos, como a fotografia e os efeitos visuais e especiais, que são espetaculares e conseguem envolver os espectadores conforme vão sendo exibidos, como nas partes em que o Aranha se balança por Manhattan.

Agora vamos às partes negativas da coisa. O Espetacular Homem-Aranha prometia, a princípio, mostrar ‘o que nunca fora contado’, a história dos pais de Peter Parker. Como tocar num assunto que nunca antes tinha feito sucesso nos quadrinhos e muito menos que tinha feito sentido nas páginas e conseguir explicar isso nas telas ? A verdade é que o filme simplesmente não explica o que houve com os pais de Peter (Andrew Garfield). Pareceu somente um pretexto para que o jovem se distanciasse mais e mais dos seus tios, Ben (Martin Sheen) e May (Sally Field), o que é um erro, afinal, nos quadrinhos ( e em todas as outras histórias sobre o Homem-Aranha ) os dois eram simplesmente muito ligados ao sobrinho, que neste novo filme os trata com frieza, e parece só ligar para os pais e para o ‘desaparecimento’ deles. Essa simplesmente não é a essência do Peter Parker que todos os leitores conhecem.

Vemos mais o Homem-Aranha sem máscara do que com ela, o que pode ser algo meio chato para quem quer ver mais as cenas de computação em que o aracnídeo se balança pela cidade; Mas como se trata de um recomeço, era até mesmo um pouco esperado que isso acontecesse, porque os roteiristas iriam preferir explicar as origens do heroi e tal. Mas o que vemos é um roteiro completamente cheio de furos e de elementos que são mostrados no filme que são muito forçados e tentam arrancar a risada dos telespectadores a todo custo. Essas cenas às quais me refiro não somente chegam a ser cansativas como mostram a falta de verossimilhança dos fatos com a realidade seja dentro ou fora dos quadrinhos. Steve KlovesJames Vanderbilt e Alvin Sargent foram os culpados por essas cenas forçadas e também pela cadeia de coincidências que somente facilitam a vida do herói nas telonas.

Realmente não há nada a se comentar sobre esse tipo de cena sem dar spoiler para você que ainda não viu o filme, mas com certeza você vai notar as coincidências principalmente no fim do filme, tente reparar no que acontece e que parece tão improvável de acontecer como aquelas propagandas da Coca-Cola(0,0000001%).

Não somente fosse o bastante que essas coincidências estivessem presentes no filme, há também outros acontecimentos no filme, como as cenas ‘sem nenhuma explicação’ que deixam explícita a preguiça dos roteiristas já citados acima. É realmente decepcionante o roteiro desta produção que poderia ser completamente diferente, se o filme fosse feito pela Marvel. Imagino se Joss Whedon fosse o roteirista, consagrado nas HQ’s e nas telas com ‘Os Vingadores’ tivesse feito o roteiro para esse filme, o que não poderia sair dali…Mas agora o que resta é esperar. Esperar por um novo reboot, agora feito pelas pessoas que realmente sabem que estão fazendo com as histórias do Homem-Aranha. E, quem sabe, algo digno de suas histórias que até hoje contagiam tantos milhares de leitores pelo mundo, porque atualmente, as produções cinematográficas se tornaram apenas comerciais e não fazem jus a um passado tão mágico nas revistas em quadrinhos.

Conclusão

No geral, é um bom filme, com alguns erros no roteiro que são ofuscados (felizmente?)  pelos excelentes efeitos gráficos. É divertido, mas se levarmos para o lado mais analítico, tem um enredo cliché e pode desagradar um pouco.

Cornetadas

Aliás, onde está a clássica frase do Tio Ben ? Onde estão os momentos icônicos do filme ?

Que os direitos voltem para a Marvel e que o Aranha entre no grupo dos Vingadores !

Não veja em 3D, o filme não foi feito em 3D e não merece ser assistido em 3D. E assista os créditos para ver a cena ‘final’ !

Sobre o Autor

Matheus Pessôa tem 15 anos e é fã do Homem-Aranha desde os 4.Sempre ligado nas séries de TV e nos jogos do heró, principalmente os mais antigos.Um pouco mais tarde encontrou o caminho das HQ's Marvel, pelo qual segue até hoje e ainda seguirá por muito tempo...

VÍDEOS

Navegador de Podcasts





PADRIM

Padrim3

Visite Nossa Loja Virtual

Loja Virtual

CANAIS

Feeds Twitter You Tube Instagram Facebook

Fan Page

9ª Arte