O Homem-Aranha está de volta. Depois de descobrir os seus poderes há dois anos, Peter Parker (Tobey Maguire) aprende mais do que nunca quais são as responsabilidades das quais seu Tio Bem havia lhe contado no carro na noite em que morrera. ‘Com grandes poderes, vêm grandes responsabilidades’.

 

Peter agora encontrou um trabalho como entregador de pizza, mas logo é demitido depois de uma entrega mal-sucedida. Sua vida na faculdade de Ciência, frequentando as aulas do Dr. Connors também vai de mal a pior. Notas baixas, atrasos frequentes e a exaustão que passou a ser uma rotina em sua vida. Com sua Tia May, as coisas estão ainda piores. A questão financeira na vida dos Parker depois da morte de Bem está muito frágil, ou seja, mais uma coisa na cabeça de Peter.

Mas o que realmente pesa para uma decisão sobre o que fazer de sua vida é o fato de que ele percebe que o Homem-Aranha está atrapalhando tudo isso. Tomando muito de seu tempo, sugando sua vida. Até mesmo Mary Jane (Kristen Dunst) percebe isso e acaba se afastando de Peter, como a maioria dos que estão ao seu redor fazem.

Se somente os ‘ladrõezinhos’ já atrapalhavam o planejamento de Peter Parker, tudo fica ainda pior quando surge o Dr.Octopus, clássico nas HQ’s do aracnídeo e que é com certeza o mais brilhante e bem-sucedido vilão que o Aranha já enfrentou; E é nesse momento que os pontos mais fortes da produção aparecem.

Todas as cenas em que Doc Ock aparecem são de arrepiar. Os efeitos visuais são incríveis, realmente incríveis, e isso acaba indo para a conta de Sam Raimi, que ainda adicionou um pouco da sua experiência para deixar as cenas ainda mais emocionantes, como a em que o Aranha e Octopus lutam numa queda livre de um edifício. É isso que os fãs querem ver, e é isso que eles viram nas telas de cinema.

Mas além disso, podemos ressaltar a ‘moral da história’, que remete ainda ao pensamento de Ben Parker. O  filme mostra exatamente o que ocorre quando uma pessoa assume mais compromissos do que devia ou quando algo que ela gosta acaba se tornando prejudicial à sua vida, que é o que tanto cansamos de ver nas revistas em quadrinhos. A pressão é tanta que Peter toma uma decisão inimaginável pelos espectadores. E dá ainda mais emoção a história, além de mostrar o humor que sempre esteve presente no espírito do Aranha, como a cena ‘Raindrops Keep Falling On My Head’.

Enfim, Homem-Aranha 2 supera o seu antecessor em muitos aspectos. Não que o 1º tenha sido ruim, mas a questão é que em matéria de efeitos especiais e da narrativa, que desta vez traz o excelente Octopus, a continuação da saga do aracnídeo nos cinemas certamente empolgou mais. E criou expectativa para o terceiro da franquia.

 

Sobre o Autor

Matheus Pessôa tem 15 anos e é fã do Homem-Aranha desde os 4.Sempre ligado nas séries de TV e nos jogos do heró, principalmente os mais antigos.Um pouco mais tarde encontrou o caminho das HQ's Marvel, pelo qual segue até hoje e ainda seguirá por muito tempo...

VÍDEOS

Navegador de Podcasts





PADRIM

Padrim3

Visite Nossa Loja Virtual

Loja Virtual

CANAIS

Feeds Twitter You Tube Instagram Facebook

Fan Page

9ª Arte