Presto Gaudio On outubro - 31 - 2012

[Review] Spider-Man (S01E13) – Strange Days

Apresentando certa continuidade com o episódio anterior, que se passou num fim de semana, este começa numa segunda-feira. E com uma grande surpresa, inclusive para Peter que acorda com seis braços! A tia May rapidamente entra no quarto, sem que Peter possa fazer nada e… mais uma surpresa… Vou deixar essa para quando você que estiver lendo este review assistir.

Essa pequena introdução serviu apenas para brincar um pouco com algumas referências dos quadrinhos. Na verdade, descobrimos que a escola toda está dormindo profundamente. Peter consegue acordar graças à ajuda de seu amigo zen Punho de Ferro. Dany Rand explica que uma poderosa magia dominou a todos e eles precisam de ajuda para reverter a situação. Temos então um recordatório do Peter com o tio Ben que fala para que o sobrinho nunca se esqueça que a vida é mágica. Sacaram o tema do episódio? Magia versus Ciência.

Dany guia o Aranha até a casa do Dr. Estranho. E pela cidade descobrimos que a situação é muito pior que a imaginada, toda a cidade caiu no sono. No primeiro contato com a residência de Estranho temos as tradicionais palhaçadas de Peter tocando no que não deve até que aparece o dono da casa. O Dr. Estranho revela que o vilão da vez é o Pesadelo, um demônio de uma realidade paralela na qual ocorrem os sonhos e eles tem que ir para este outro universo para enfrentá-lo. Ele revela também que foi graças a Peter que Dany conseguiu quebrar o encantamento. Numa explicação que eu nunca havia visto nos quadrinhos, Estranho fala que o sensor de perigo do Aranha funciona como um farol que indica seu verdadeiro universo de origem, ele tem total ligação com seu universo.

No mundo dos sonhos que está dominado pelo demônio Pesadelo, todos os medos dos personagens se tornam realidade. Peter é o único que consegue superar seu próprio medo. A memória do tio Ben que Pesadelo despertou para dominá-lo o fortaleceu. Segue então, um discurso de responsabilidade e aceitação que enfraquece o vilão e permite ao Dr. Estranho e Dany destruírem o vilão. Essa passagem lembrou muito as cenas do filme dos Caça Fantasmas quando os caçadores capturavam os fantasmas nas armadilhas.

Moral da história: “a magia pode ser real, mas os pesadelos desaparecem quando são enfrentados”.

Sobre o Autor

Colecionador de quadrinhos desde A Morte do Super-Homem (antigamente, era assim que se escrevia). Já o Homem Aranha foi a fatídica saga do Clone que, podem me criticar, eu gostei, embora tenha acabado muito ruim e terem exterminado qualquer consequência. Historiador de formação que ainda sonha em ser arqueólogo.

VÍDEOS

Navegador de Podcasts





PADRIM

Padrim3

Visite Nossa Loja Virtual

Loja Virtual

CANAIS

Feeds Twitter You Tube Instagram Facebook

Fan Page

9ª Arte