Erick Vinícius On janeiro - 17 - 2013

O Espetacular Homem-Aranha: 6 Meses Depois…

Pouco mais de seis meses se passaram desde que a última produção cinematográfica focada no Homem-Aranha estreou e, após esse tempo, resolvi reanalisar a obra fora do hype do lançamento.

The Amazing Spider-Man, filme dirigido por Marc Webb, foi lançado no Brasil como o nome de O Espetacular Homem-Aranha, pois é o título do herói mais conhecido por aqui. Com certeza todo leitor de quadrinhos Marvel já notou que os personagens principais possuem um título que os define, como o Incrível Hulk, o Poderoso Thor e O Invencível Homem de Ferro. Normalmente esses títulos vem nos próprios nomes de suas revistas mas, no caso do Aranha, o Espetacular veio somente décadas após sua criação. Inicialmente o herói possuía uma única edição mensal, chamada The Amazing Spider-Man (ouça os Thwip Views para saber mais) e, décadas depois, ganhou um segundo título mensal chamado The Spectacular Spider-Man, que ficou conhecido no Brasil e firmou para os fãs a espetacularidade (existe essa palavra?) do herói. Se fôssemos considerar o nome do filme original e traduzí-lo fielmente para o português teríamos algo do tipo: O Espantoso Homem-Aranha. Mas enfim, estou divagando…

O novo filme do personagem teve uma recepção bastante controversa, tanto por parte dos fãs quanto do público em geral. Inicialmente fiquei com uma forte dúvida em relação a ter ou não gostado desse reboot, que é extremamente recente considerando o lançamento da trilogia anterior. Como podem ouvir nos Thwip Casts em que discutimos sobre isso, após analisar friamente todas as características da nova versão, fiquei em cima do muro mas tendendo para o “gostei do filme”. Bom, seis meses depois, essa opinião mudou.

A nova versão do Aranha no cinema possui vários pontos positivos, os quais comentarei a seguir:

- Lançadores de Teia: Uma das piores adaptações realizadas nos filmes do Sam Raimi, na minha opínião, era a teia orgânica. Não entrarei nos detalhes do porquê não gostava (senão duplicaria o tamanho desse texto), mas destacarei o motivo principal: a não criação dos lançadores tira a genialidade de Peter Parker e o coloca apenas como o “mais inteligente da sala”. Nesse filme, temos algo muito legal que é a valorização da inteligência superior do rapaz, expressa em dispositivos no quarto e que chega em seu auge com a criação de um aparelho tão útil para sua luta contra o crime. Por falar em criações, isso me lembra das…

- Inspirações: Tudo o que é criado parte de uma ideia. Um ponto muito legal do filme é mostrar de onde o Peter tira as ideias para fazer as coisas que faz. Os dois principais eventos que podemos destacar é a criação da máscara, inspirada ao ver um cartaz de lutadores mascarados de ringue, e a ideia de se movimentar com teias artificiais, inspirados pelo seu “treino” nas correntes de um depósito abandonado. Essas habilidades do protagonista, unidas ao seu estilo meio nerd de ser, traz outro ponto muito positivo do filme, que é…

- Peter Parker: Nos anos 60 o perfil de Peter Parker era bem diferente. Ele era o típico CDF que usava óculos, roupinha combinando e livros debaixo do braço. Mas, se lermos as histórias da época, percebemos que o Peter não era bobão como o interpretado por Tobey Maguire. Mesmo antes de ganhar seus poderes, ele tinha peito para encarar Flash Thompson e sua trupe, mesmo perdendo sempre e sendo zoado no final, e a versão interpretada por Andrew Garfield (lasagna?) cumpre bem esse papel de mostrar o Peter em sua essência verdadeira. Ele é um rapaz com senso de justiça e, apesar de ser marginalizado pelos colegas, não é um bobalhão. Ao observar as histórias dele um pouco mais adulto isso fica um pouco mais claro, inclusive. Nesse filme ele não encontra Mary Jane, mas sim sua mais famosa namorada…

- Gwen Stacy: Ela foi a segunda namorada de Peter nos quadrinhos mas certamente a mais famosa. O fato de a escolherem foi um ponto forte, tendo em vista a cronologia das HQs e a vontade que os fãs tinham de vê-la no cinema (sim, estou ignorando Homem-Aranha 3). No filme possui a mesma atração imediata por Peter que ocorre nos quadrinhos, além de ter sido muito bem caracterizada. A presença dela e a citação de Norman Osborn ao longo no filme nos faz pensar que é possível que utilizem nos filmes posteriores uma das histórias mais marcantes do Homem-Aranha: A morte de Gwen Stacy. É bem possível que tenhamos essa história retratada na telona, considerando o clima que o filme se passa. Clima esse em que ocorreu a morte do…

- Capitão George Stacy: Apesar de mais novo, o pai de Gwen Stacy continua tendo o seu forte senso de justiça e batalha pelo bem dos cidadãos de bem. Suas principais características foram mantidas na produção e sua morte foi bem parecida aos quadrinhos, apesar de possuir algumas diferenças. Ainda considerando a morte dos mentores, temos…

- A morte do tio Ben: Concordo com qualquer um que disser que o assassino ser o carinha que roubou o mercado foi uma escolha bem simplória para o evento, mas preciso admitir que a cena do Peter Parker com o seu tio nos braços é muito mais impactante que a do filme anterior. A partir desse ponto de virada, temos o nascimento do Homem-Aranha e…

- A criação do uniforme: A criação do uniforme vermelho e azul nesse filme é um pouco mais crível que dos anteriores. Ao invés de simplesmente ter o poder de uma aranha super costureira, os flashs onde vemos a criação nos dão um sentimento de “até que faz sentido”, o que é muito bom para um filme que tenta ser um pouco mais realista. E, por ser realista, temos o Aranha…

- Procurado pela polícia: Um mascarado aparece e começa a atacar pessoas pelas ruas. Qual é a primeira coisa que a polícia deve fazer? É óbvio que é soltar um mandado de busca e apreensão para o meliante, que está agindo fora da lei. Esse é um ponto legal do filme, que mostra o que realmente aconteceria se um herói desse tipo surgisse nas ruas de Nova York. Além de, juntamente com a luta contra o vilão, rende…

- Ótimos efeitos especiais: Taí uma coisa que me agradou mais nesse filme que nos anteriores. A cenas de luta são muito melhores que os CGs exagerados da trilogia Raimi. O fato de a maioria das cenas serem feitas com atores de verdade trouxe um realismo maior para a história e as cenas de CG mostraram movimentos fantásticos, como o Aranha andando pelo Lagarto enquanto o envolve com sua teia.

Vou parar de listar os pontos positivos agora senão esse texto ficará enorme (tá, não tão grande assim). Reconheço que o filme possui vários pontos negativos, como o skate, o vilão inexpressivo, a origem dos poderes, a história dos pais, a relação do Peter com seus tios, a revelação da identidade a cada 5 minutos, a ausência de J.J. Jameson, a eliminação de cenas clássicas, como a luta no ringue, etc. Particularmente, não acho que pontualmente os pontos negativos sobressaiam-se aos positivos, mas temos um ponto primordial que faz com que o filme caia para o lado ruim do muro: A história é péssima!

Esse é o problema de The Amazing Spider-Man e o motivo de eu ter ficado com dúvidas sobre ter gostado ou não da obra. Ela possui tantos pontos isolados que são legais que eles acabam ofuscando um ponto óbvio, que é a história ser fraca. A parte de ter um cientista que se trata com um soro de lagartos, vira um vilão, ameaça a população e é derrotado pelo super herói é bem legal. O problema é quando colocam os pais de Peter Parker no meio… Os pais do rapaz nunca tiveram boas histórias nas HQs, pelo menos não marcantes. A proposta do filme de tentar inserí-los é louvável, pois traria um elemento desconhecido para o universo aracnídeo cinematográfico, mas quando começam a ligar todas as coisas, como por exemplo a aranha que picou o Peter, dando-lhe os poderes, foi coincidentemente criada por seu próprio pai num passado distante, a história passa a ser forçada a um ponto de romper-se e tornar-se um sentimento de “tá bom, viu…”. Além do mais, essa revelação da história não contada dos pais que, teoricamente é o foco do filme, não sai do lugar. Em um certo momento do trailer temos uma fala destinada ao Peter perguntando se ele acha que o que aconteceu com ele foi acidente e se ele sabe quem ele realmente é, o que nos dá a terrível impressão de que os pais do Peter tinham feito algo com o garoto que o predestinou para aquele destino, o que amplia o sentimento citado anteriormente para um “ah vá…”. A “batmatização” do filme é um dos principais problemas, pois tentaram colocar o Homem-Aranha como um herói mais sombrio e sabemos que isso não funciona com o personagem (pelo menos não sem um simbionte alienígena). Se fôssemos procurar um culpado pela pobre história teríamos que nos voltar para o roteirista, mas não concordo em colocar toda a culpa em cima dos ombros de James Vanderbilt, pois nenhum filme é feito por uma pessoa só. A obra termina com um sentimento de que esses segredos ainda não acabaram de ser revelados mas não gera um sentimento de euforia pela espera do próximo.

Enfim, o filme possui vários elementos bons? Sim. Possui uma história boa? Não. E, como todo filme é uma história contada, temos que no final das contas ele não consegue contá-la bem, ficando uma obra mediana para ruim. Se no ano que vem fizerem um filme com uma história coerente e digna do personagem teremos uma das melhores adaptações dele para os cinemas. Caso não, teremos um “Espantoso” Homem-Aranha no pior sentido da palavra…

Eu não revi o filme para escrever esse texto, então o fiz com as memórias de seis meses atrás. Certamente esqueci de citar alguma coisa, então podem me lembrar nos comentários.

Compartilhe

Share to Google Plus

Sobre o Autor

Erick Vinícius tem 24 anos, é cristão, estudante de Engenharia Elétrica, projetista de esquemas elétricos de automóveis e, logicamente, maluco pelas histórias do Homem-Aranha!

  • http://twitter.com/Mancadas_Aranha Mancadas do Aranha

    Legal. Eu pensava mais ou menos assim. Mas quando eu revi o filme, percebi que ele não é tão ruim assim. Quando comprei ele em Blu-Ray, já o assisti umas 3 vezes e percebi que o filme é bom. Os pontos positivos conseguem cobrir “em parte” os pontos negativos.

    • http://twitter.com/Mancadas_Aranha Mancadas do Aranha

      complementando: Para comparar com a trilogia inicial, eu acho que ele se torna um pouco melhor que o Homem-Aranha 3 e um pouco inferior que o Homem-Aranha 1, mas até agora, nenhum filme superou o Homem-Aranha 2, que é ótimo.

  • macgaren

    Concordo que a história deixa a desejar mas só pelo fato de não ser uma comédia romântica disfarçada de filme de herói como a trilogia do Raimi já o faz valer a pena. e aqui também temos o espírito das hqs mais presentes. o Peter é aquele de 60 anos atrás atualizado para os dias de hoje. Quando o vi achei ele superi… er, vamos usar outra palavra: melhor que todos os filmes da trilogia mas agora, revendo, acho-o no nível do Homem-Aranha um(os dois têm qualidades e defeitos que se contrapõem) que é meu preferido da Trilogia.

  • http://twitter.com/spiderblogg Theamazingspiderblog

    Legal o texto, Erick! Não sei como, mas o skate não me incomodou muito, achei bem legal.
    Pra mim, esse filme tinha um potencial pra ser bem melhor do que ele já foi. Mas infelizmente não o atingiu. Mas mesmo assim, adoro esse filme. Principalmente com a Gwen e o Peter comediante igual aos quadrinhos. E o fato da aranha ter sido criada pelo pai dele, não achei tão ruim também, visto que no ultimate, a aranha também é criada por alguém, no caso o Osborn. Mas se for explicado depois que ele a criou pra o filho dele ter os poderes de aranha, aí já vai ser demais mesmo.

    O espetacular homem-aranha= homem-aranha 2> homem-aranha >>>>>>>>>>……..>>>>homem-aranha 3

    • macgaren

      Sério. Qual o problema com o Skate? Ele é adolescente… se ao invés de Skate ele andasse de bicicleta,Patins alguém ia falar algo? Vi o Skate mais como uma explicação para o Peter já ter uma certa habilidade antes da picada porque é difícil de engolir um nerd que nunca fez exercícios ,ao ser picado por uma aranha já sair todo acrobático e serelepe.

  • http://www.facebook.com/luizjuniorart Luiz Junior

    Ótimo texto Erick. Eu não assisti o filme no cinema, somente recentemente em Blu-Ray e fiquei com esse mesmo sentimento, me senti confuso, pensando “eu gostei disso mas não gostei disso”. Analisando seu texto me dei conta que realmente qualquer filme deve ser bom na essência da historia primeiramente e isso esse filme deixa a desejar…. Torcemos para que os próximos melhorem nisso, pois essa nova trilogia tem potencial!

  • http://www.comiccity.com.br Michael Lincoln França

    Bom vamos lá! Antes de mais nada é um excelente texto! Bem abrangente! Qto ao filme, desde o começo não gostei dele como um todo, mas aos poucos fui abrindo a cabeça para alguns pontos realmente bacanas, como os citados no post! Concordo que contextualizar o personagem foi uma boa ideia, mas passaram do limite, onde não dá pra ver Peter como um nerd, falharam também em mostrar um Peter inteligente, tentaram.. mas falharam..onde no filme a única criação dele é uma trava na porta, de resto apenas adaptações! Acho que uma excelente versão pra Peter Parker, é a do desenho animado de 94, nerd, inteligente, engraçado e não necessariamente um mané! Deveriam se basear nele! Qto ao uniforme.. sim foi uma boa origem pra ele, apesar de eu não ter gostado do resultado final! Gwen Stacy a mais famosa! Há controvérsias! A morte do tio Ben! Realmente… ficou muito mais “forte”… mas o lance do bandido… fraco! Concordo tb com o lance da polícia, mas escolher o Capitão Stacy pra isso! Acho q não! Qto ao efeitos.. eu tb concordo que se superaram! Em suma, acho q o filme tem ideias muito boas… mas pecaram na execução!

  • Halks

    Concordo, os pontos são bem positivos, quando vi pela primeira vez o Peter eu acreditei nele, e também colocaria como ponto positivo a relação entre a Gwen e o Peter, foi fantástica, você sente uma conexão muito forte entre os dois, e volta aquela famosa frase “Gwen gosta do Peter pelo Peter, Mary Jane gosta do Peter pelo aranha”, o que pode ser verdade, e no filme mostra o apreço da Gwen pelo Peter, o diretor Marc Webb é muito famoso por fazer filmes em que o diálogo e relação entre os personagens seja muito forte e boa, isso me deixou feliz, mas o filme tem falhas realmente, eu trocaria o vilão, e o final (muito homem aranha 3, segurando o corpo na luz do sol), mas espero que os produtores e o diretor ajeitem o que erraram para o segundo filme ser memorável…Excelente texto Erick

    • Erick Vinicius

      Valeu, Vinícius

  • http://www.facebook.com/ezequias999 Z Ferreira Santana

    concordo q a historia dexou a desejar, e q poderia ter sido melhor, mesmo as producoes de rami e a de web tendo pontos positivos e negativos creio q o tasm realmente eh superior, “(falo isso talvez levado pela emocao de ver um aranha, mais rapido, mais agio, mias inteligente enfim, uma aranha como o aranha deve ser)”

  • http://twitter.com/lucashpsilva Lucas Henrique

    Concordo que a história é ruim.Mas também achei que o filme tem muitas falhas,como o Peter parar de procurar o assassino do Tio Ben,de uma hora para outra sem nenhuma explicação.Acho que isso cabe o diretor,que na minha opinião é o maior responsavel por este filme ter desagradado muitos fãs.
    Adoro o Aracnofã,continuem com o trabalho,que é um ponto de encontro dos fãs do Aranha.Parabéns.

    • Erick Vinicius

      Valeu kara!

    • macgaren

      O fato dele parar de procurar o assassino do Tio Ben é explicado quando, após a cena da ponte ele se dá conta de que podia usar aqueles poderes pra ajudar as pessoas e não apenas pra vingança pessoal. Some-se a isso o fato do Lagarto ter surgido e o Peter ter ficado com o sentimento de responsabilidade de capturar o bicho(diferente do Homem-Aranha 2 e 3 onde ele só vai atrás dos vilões quando eles mexem com a Mary Jane)