Presto Gaudio On dezembro - 15 - 2014

Ultimate Marvel 51 – Homem-Aranha

Olá, pensaram que eu tinha abandonado as reviews… na realidade eu viajei a trabalho e acabei esquecendo… mals… por isso, essa semana eu trarei todas as revistas atrasadas a começar pela Ultimate Marvel 51 de setembro de 2014. Nesta edição, originalmente Ultimate Spider-Man 24, temos os roteiros de Brian Michael Bendis complementados pela arte de Dave Marques e cores de Justin Ponsor.

Basicamente é uma edição de flashback, a primeira página dá continuidade a edição anterior, mas tem a função narrativa de um recordatório para lembrarmos que Miles Morales está aposentado após a morte da mãe nas edições anteriores (mas cronologicamente um ano antes). Além disso, novos heróis surgem na cidade: Manto e Adaga, e é sobre eles a história.

Ultimate-Comics-Spider-Man_24_Panel

Voltando um ano no passado vemos o primeiro encontro de Ty Johnson e Tandy Bowen, os alter egos dos heróis. Ambos ainda não tinham nenhum poder, a única semelhança entre os personagens era que ambos estavam no último ano do colégio e desempenhavam a função de presidente do grêmio. Ela da escola de Peter e ele da escola de Miles.

Avançamos seis meses, e agora Ty e Tandy estão indo para o baile de formatura, parece que a amizade evoluiu para algo mais, no entanto um acidente e entram em coma. Passam-se três meses e um grupo (os Iluminati desse universo?) conversa sobre a oportunidade de usar os jovens que em breve serão dados como mortos. O suspeito grupo é formado pela Dra. Layla Miller, Nathaniel Essex, Dr. Samuel Sterns e Dr.Armin Zola III… minha experiência com o 616 me faz temer um grupo com essa formação. Por fim a experiência termina três dias antes do ataque de Granada ao café com Ty e Tandy acordando em meio a uma metamorfose estranha.

maxresdefault

A historia dos dois novos heróis é sempre cortada com momentos atuais da luta, hora os dois batendo, ora apanhando. Mas o principal é o confronto entre Gwen e Miles, a primeira insistindo na responsabilidade dos poderes, enquanto o segundo nega a necessidade de seu retorno às teias.

Sobre o Autor

Colecionador de quadrinhos desde A Morte do Super-Homem (antigamente, era assim que se escrevia). Já o Homem Aranha foi a fatídica saga do Clone que, podem me criticar, eu gostei, embora tenha acabado muito ruim e terem exterminado qualquer consequência. Historiador de formação que ainda sonha em ser arqueólogo.

VÍDEOS

Navegador de Podcasts





PADRIM

Padrim3

Visite Nossa Loja Virtual

Loja Virtual

CANAIS

Feeds Twitter You Tube Instagram Facebook

Fan Page

9ª Arte