Neste artigo da série dos 40 anos da Mulher-Aranha vamos falar sobre o título mais recente da personagem, Spider-Woman (2015).

Esse título começou na época da saga Spider-Verse, escrita por Dan Slott em Amazing Spider-Man. Dennis Hopeless, acompanhado de Greg Land na arte, trouxe Jessica Drew de volta às suas próprias páginas.

Para quem não leu Spider-Verse, a trama girou em torno dos Herdeiros, a família de Morlun, caçando todos os seres com poderes de aranha de todas as realidades para alimentarem-se de suas essências vitais. As quatro primeiras edições foram um tie-in de Spider-Verse no qual Jessica Drew ficou responsável por ir ao Mundo-Tear, a realidade dos Herdeiros, para tentar descobrir algum ponto fraco neles. Lá ela consegue, através do Tecelão-Mestre, as profecias do Herdeiro, a Noiva, e o Outro, os quais viriam a ser revelados depois. Ela envia a profecia com o seu teleportador para os seus colegas aracnídeos e (como visto nas páginas de Amazing Spider-Man) a Garota-Aranha, Anya Corazon, decifra a profecia, descobrindo que o Herdeiro (irmão da Garota-Aranha da Terra 982), a Noiva (Silk), e o Outro (Kaine) eram fundamentais para um grande ritual dos Herdeiros.

Jessica e Silk estavam presas no Mundo-Tear, mas Spider-Gwen e a Garota-Aranha (Anya Corazon) foram enviadas para ajudá-las. Depois de a ameaça dos Herdeiros ser eliminada, o Mundo-Tear ficou sob a liderança da Jessica Drew daquela realidade.

E então a Jessica Drew da Terra 616 volta a sua realidade, mas decidida a uma grande mudança: ela não mais faria parte dos Vingadores e voltaria a agir sozinha na atividade super-heroica, voltando também a ser investigadora particular. Depois de impedir uma ameaça inesperada na torre dos Vingadores, Jessica fala a respeito de sua decisão com o velho Steve Rogers, que para o espanto dela entende perfeitamente, mas diz que “Uma vez Vingadora, sempre Vingadora”. Quando precisassem dela iriam chamá-la.

Assim, depois de descontrações com sua melhor amiga Carol Danvers, a Capitã Marvel, Jessica parte para sua nova fase.

Achei esse tie-in de Spider-Verse interessante e divertido. A dinâmica de Jessica com os outros personagens, principalmente o próprio Homem-Aranha (gerando momentos cômicos entre os dois, como já visto antes algumas vezes em Novos Vingadores) e a Silk (por qual Jessica se sente responsável), foi um ponto positivo. Podemos mencionar também Anya Corazon, cuja admiração por Jessica – vista no arco de Avengers Assemble (2012) 21 a 25, de Kelly Sue Deconnick – não foi esquecida no tie-in nem no arco principal de Spider-Verse.

Esse arco foi publicado originalmente em Spider-Woman (2015) 1 a 4. No Brasil foi publicado pela Panini em Homem-Aranha: Aranhaverso 2 a 4.

Veja a segunda parte deste artigo aqui. E para conferir todos os artigos da série dos 40 anos da Mulher-Aranha clique aqui.

Sobre o Autor

André Marques (antes autor do The Amazing Spider-Blog, theamazingspiderblogg.blogspot.com.br) tem 21 anos e é de Recife-PE. Costuma ler a Marvel desde 2006, tendo como personagens favoritos o Homem-Aranha, Mulher-Aranha (Jessica Drew) e Jessica Jones.

VÍDEOS

Navegador de Podcasts





PADRIM

Padrim3

Visite Nossa Loja Virtual

Loja Virtual

CANAIS

Feeds Twitter You Tube Instagram Facebook

Fan Page

9ª Arte