Nessa série de matérias (Que começa aqui) vamos relembrar todos os combates do vilão Kraven, o Caçador, desde a origem em 1964 até sua morte na famosa minissérie de 1989, entendendo um pouco a progressão do personagem, suas motivações ao longo do tempo e o crescimento da sua obsessão em capturar o herói aracnídeo.
O caçador percorreu uma longa trajetória desde o início de sua busca pela única fera que não capturou, o Homem-Aranha, até a última e trágica caçada que o levou a morte. Nesse meio tempo, tentou vencer Peter em mais de 10 oportunidades, além de ter suas desavenças com vários heróis Marvel enquanto tentava capturar outras feras como Tigresa, (Greer Grant) Homem-Lobo (John Jameson) e o próprio X-men Fera (Hank McCoy).

Capa da edição original da primeira caçada de Kraven, por Steve Ditko

A primeira aparição de Kraven nos quadrinhos, estreando como vilão do Homem-Aranha, data de agosto de 1964, na edição 15 de Amazing Spider-man que trazia também o retorno do Camaleão, capturado pelo cabeça de teia na edição 1.
A história, chamada “Kraven, o Caçador”, é escrita por Stan Lee e desenhada por Steve Ditko, a clássica dupla que criou o nosso herói e trabalhou no título até o número 38. A edição é uma trama típica do aranha, reunindo problemas familiares, na escola, no jornal e com um novo vilão que ameaça o herói, neste caso, Kraven.

Tudo começa com o Aranha arruinando mais um dos planos do Camaleão, que vem tentando estabelecer sua carreira criminosa desde a primeira edição. O Vilão das mil faces consegue escapar dessa vez, e em sua base, pensa em uma maneira de tirar o aracnídeo da jogada… É então que ele lembra de um velho amigo: Kraven, o Caçador.
Nessa edição, ficamos sabendo que Kraven é famoso mundialmente por caçar qualquer fera com as próprias mãos. Diversas vezes durante a história os personagens (Seja o Camaleão, Jameson ou o próprio Kraven) falam sobre os feitos do caçador, que incluem derrubar elefantes com os punhos e atordoar gorilas em um único golpe.

Kraven explicando a origem da sua super-força para o comparsa Camaleão

Enquanto Peter enfrenta os ciúmes da sua namorada/ficante Betty Brant, que não suporta ver a patricinha Liz Allen perto dele, J. Jonah Jameson o convoca para recepcionar a chegada de Kraven em Nova York e tirar algumas fotos para o jornal.
O caçador chega da África e logo se mostra um vilão diferente dos anteriores que apareceram: Stan Lee estabelece uma espécie de código de honra para o personagem, que menospreza a imprensa, o dinheiro e a fama, e só se interessa pela glória da caçada. Essa representação original de Kraven, como um famoso caçador que tem seus princípios, mas fica obcecado pelo Homem-Aranha, já está bem presente nessa edição e irá acompanhar o personagem até o fim, sendo abordada de forma cada vez mais profunda.

Kraven VS Homem-Aranha

Alguns animais que estavam sendo transportados escapam no local, e Kraven os captura com facilidade, mostrando suas habilidades para o público e para Peter. Quando Jameson pergunta o que o caçador veio fazer na América, ele responde que seu objetivo é caçar uma fera como nenhuma outra: O Homem-Aranha. Peter, que estava tirando fotos, detesta a “novidade” e tenta entender o motivo por trás daquilo.

Kraven se reúne com seu parceiro, o Camaleão, e ambos planejam. O caçador está confiante na sua força, oriunda de uma poção preparada por um feiticeiro/cientista de uma obscura tribo africana. Enquanto Camaleão quer tirar o Aranha da jogada pra ter sucesso na carreira criminosa, Kraven leva a situação como um desafio pessoal, a chance de provar que pode capturar qualquer animal vivo.
Ele observa o Aranha atuando contra bandidos durante o dia seguinte, analisando o adversário e sua forma de reagir às situações. Stan Lee e Steve Ditko criam um vilão que além de forte, é bastante astuto, dessa vez o Aranha vai ter que lidar com alguém que usa mais a estratégia e o planejamento do que a própria força bruta.
Quando o sentido do Aranha avisa do caçador por perto, o herói parte pra cima de Kraven e os dois tem sua primeira luta. Graças a habilidade, Kraven consegue aguentar, mas logo nota que a força do aracnídeo é muito maior que a sua, por isso ele utiliza um veneno de uma das presas que usava no cinto, que enfraquece o Aranha, e então ele foge para planejar o próximo ataque.

Peter sofre os efeitos do veneno e fica atordoado. Mesmo com sua resistência, ele passa todo o dia seguinte com tremedeiras nas mãos, que rendem boas cenas engraçadas e constrangedoras no colégio e no jornal, com o herói tentando esconder dos demais sua mão tendo espasmos.
Ele continua lidando com os ciúmes de Betty por causa de Liz Allen, e também é aqui que outra garota começa a entrar na sua vida: A sobrinha de Anna Watson, vizinha da tia May, que quer arranjar um encontro entre os dois. Peter pensa que a garota é feia e tenta evitar o encontro a qualquer custo, isso vai se repetir bastante pelos próximos meses até ele conhecer Mary Jane.

Kraven utiliza seus artifícios para capturar a “fera” da vez.

O Aranha continua paranóico com a presença de Kraven na cidade, que pode atacá-lo a qualquer momento, e então decide que o melhor a se fazer é ir atrás dele, e colocar um rastreador-aranha no cara pra acabar com a agonia.
Kraven previu que o aranha viria atrás dele, e então arma um plano com Camaleão, que se disfarça de Kraven e atrai o aranha para um parque florestal no centro da cidade. Lá, o verdadeiro Kraven pega o Aranha de surpresa e a luta recomeça.
Enquanto os dois lutam, Camaleão (Ainda disfarçado de Kraven) utiliza alguns tambores para dar “clima” de caçada, como um ritual antigo. Esses tambores reapareceriam em histórias posteriores, como a famosa Tormento.
Kraven prende um bracelete e uma caneleira de metal com atração magnética, que limitam os movimentos do Aranha, fazendo seu braço e sua perna ficarem unidos. O herói resiste com sua força, mas é obrigado a fugir de Kraven pelo meio do parque.
Ele tem a ideia de cobrir o bracelete e a caneleira com fluido de teia, anulando a atração magnética, e é aí que o jogo finalmente vira. Ele captura o Camaleão com facilidade, e agora passa a caçar Kraven. O caçador finalmente se torna a presa, e é perseguido pelo aranha na floresta.
Finalmente, Kraven é humilhado pela sua arrogância, e essa pancada no seu ego que provavelmente originou toda a obsessão futura que ele teria com o aracnídeo. A caçada se inverte, e o Aranha o encurrala diversas vezes até o capturar com teia, como se fosse uma mera mosca perto dele.
O Aranha ainda atormenta Kraven com suas piadinhas até a polícia chegar. O caçador e o Camaleão são deportados para a Rússia, seu país de origem. No navio, ele jura voltar mais forte que nunca, e não descansar enquanto não capturar o aracnídeo.

O caçador se torna caça nas mãos do Homem-Aranha

A história termina com Peter desmarcando um encontro com Betty por causa de um compromisso com a sobrinha de Anna Watson, que tia May arranjou, a contragosto do rapaz. Betty fica furiosa, a sobrinha Watson não aparece pro encontro, e Liz saiu com Flash. Peter fica sem as três garotas, se ferrando no fim da edição, como acontece na maioria dessa fase.

A história cumpre muito bem o seu papel de apresentar um vilão legal e inovador. Kraven é diferente dos demais: Ele luta com o Aranha pelo prazer da caçada, capturá-lo é seu objetivo pra satisfazer o seu ego, como o próprio Peter faz essa observação no meio da história.
Essa trama foi recontada e complementada por J.M. DeMatteis e Pat Broderick em 1996, na edição Anual de Sensational Spider-Man. Na versão “retconizada”, DeMatteis inclui todo o drama da relação de fraternidade/rivalidade entre Kraven e o Camaleão, que tentam a toda hora um provar ser melhor que o outro. Essa versão de 1996 não é ruim, mas o drama exagerado de DeMatteis não é algo necessário, e a edição original de Lee/Ditko cumpre melhor o papel de mostrar o primeiro embate entre o Aranha e o caçador, funcionando bem até hoje.

Edições de Amazing Spider-man 15 e Sensational Spider-man Annual 1996 no Brasil
Fonte: Guia dos Quadrinhos

Na próxima matéria: A SEGUNDA CAÇADA – Kraven e Camaleão são deportados… E a criação do Sexteto Sinistro!

Sobre o Autor

Um pretenso colecionador de quadrinhos em geral, mas em especial do Homem-Aranha. Crítico ferrenho dos anos 2000 do personagem. Fanboy do Aracnídeo desde o desenho clássico de 1994, e em constante aprendizagem sobre o universo Marvel.

  • Erick Vinicius

    RAIOS MAMILARES!!!!

VÍDEOS

Navegador de Podcasts





PADRIM

Padrim3

Visite Nossa Loja Virtual

Loja Virtual

CANAIS

Feeds Twitter You Tube Instagram Facebook

Fan Page

9ª Arte