Gustavo Mannarelli On julho - 11 - 2019

Resenha: Amazing Spider-Man #25

Atenção, esse post contem informações inéditas no Brasil e Estados Unidos.

Enfim fechando as pontas soltas enquanto uma ruiva rouba a cena em muitos sentidos!

Plot: A edição começa com o psiquiatra do Mysterio avisando a polícia que o último agora está morto, só pro capeta responsável por isso, o Kindred, aparecer no teto e acabar com a farsa: o psiquiatra em questão é o Ludwig Rinehart, um dos disfarces prediletos do Mysterio, e o que morreu era o psiquiatra de verdade do Mysterio, o que sumiu, e que o Mysterio fez uma lavagem cerebral básica pro mesmo achar ser o Mysterio (Pacote Macabro Feliz). O problema é que pra fazer a farsa mais real, o Quentin contou o nome real do Kindred pro falso Mysterio, e ter tido que matar um inocente só deixou o capeta ainda mais nervoso, que por pouco não arrasta o Mysterio de volta pro inferno, mas no fim ele apenas entrega o antigo roteiro de filme do Mysterio (ler O Espetacular Homem-Aranha #1), afinal o demônio tem planos pro Quentin.

 

 

A edição então pula pro Aranha enfrentando uma série de robôs enquanto vai atrás de uma ponta solta de Hunted, e já que são muitos, ele acaba tendo que desmarcar de última hora o encontro com a MJ na ópera (que tem como tema o Quarteto Fantástico), que já estando acostumada, já chama a Carlie Cooper pra ir no lugar. Um detalhe é que a ópera em questão é protagonizada por uma colega da MJ dos tempos de modelo, que agora está por cima da carne seca, e a MJ não consegue parar de pensar como a vida dela podia ser a da “amiga” agora. Enquanto o Aranha tem que lidar com andróides auto-replicantes pra chegar no criador deles, o Dr. Connors, a MJ, que tem passe pros bastidores, tem que aturar as indiretas da “animiga” e o fato de ela realmente sentir falta dos palcos.

 

 

Pra “sorte” da MJ alguém aparece pra estragar tudo: a Electro, que veio fazer uma live do sequestro da atriz (a Screwball ficará bolada), mas vendo como o povo odeia essa atriz, inclusive a própria Electro (quem em sã consciência faria um remake de Uma Linda Mulher?!), a acaba mudando o sequestro ao vivo pra uma execução ao vivo (se as doações baterem a meta). Por sorte a MJ tem um plano pra salvar a animiga, que envolve a Carlie… bem, olhem vocês mesmos ao lado:

 

 

 

 

 

 

Enquanto isso, de volta ao personagem título, descobrimos que o Aranha andou atrás do Connors nos últimos dias, e o mesmo descobriu no computador do Connors que a faculdade tinha um centro de contenção pra ameaças, e que o Connors se trancou lá pra morrer por medo de perder o controle do Lagarto algum dia (os andróides são pro Lagarto), mas mesmo o Connors pedindo pro Peter largar ele lá, o mesmo se recusa. Enquanto isso, o público enfim decidiu que a Electro frita-se a Melanie, mas antes disso a animiga da MJ faz um excelente monólogo sobre como ela odeia ser famosa pelo mesmo motivo que ama atuar: ela gosta de fingir ser outra pessoa pra desaparecer, passar despercebida e fazer parte de algo grande, e quando se é famoso isso fica impossível e como, ao fingir ser outras pessoas, a Melanie descobriu quem ela era. A Electro fica impressionada pelo monólogo, e mais ainda com o que vem à seguir: aquela na verdade é a MJ, que trocou de lugar com a animiga enquanto a Electro fritava a Carlie, que está bem, e enquanto ganhava tempo com o monólogo, a produção consegue jogar uma piscina usada no musical em cima da Electro, que todos sabemos como ele reage com água, salvando assim o dia.

Enfim, enquanto tudo isso acontece, o Aranha começa a convencer o Connors a não desistir de viver, revelando que o Kraven quase o convenceu também que a morte pode ser a solução, e que foi o Connors quem provou que isso não é verdade, e a continuar vivendo e lutando, apesar dos erros e do medo. Com isso o Connors ativa a autodestruição dos robôs, e depois de colocar um novo e melhorado chip inibidor na coluna, o Connors volta pra casa e pra família. A edição termina com o Aranha encontrando a MJ, refletindo sobre a vida atual dele e as segundas chances dele, enquanto o mesmo dá uma segunda chance pra si conquistar o doutorado, e a MJ ganha uma segunda chance na carreira de atriz… sem saber que é num projeto do próprio Mysterio. Essa história então termina mostrando que os planos do Kindred não envolvem apenas uma única Aranha…

 

 

A partir daqui, começam as histórias curtas dessa edição. A 1ª resumidamente mostra a Electro sendo salva da polícia pelo novo Sindicato Sinistro empregado pelo Rei do Crime (assim como a própria polícia, que insistiu em não deixar a vilã fugir), que quer recrutar a Electro. Detalhe que o time só tem mulheres (Besouro como lider, acompanhada da Doutora Octopus com visual Superior, Escorpiã, Coelha Branca e a Ardilosa).

 

 

 

 

 

 

A história seguinte (desenhada pelo substituto do Humberto Ramos no título) é o discurso do Connors pra nova turma do doutorado sobre como a ciência precisa focar no nosso já bastante problemático presente, dando exemplos heróicos, pois caso o contrário, o futuro está morto, e falando de futuro, acima de uma estação de petróleo acaba abrindo um daqueles portais no céu, e quem cai dele é ninguém menos que Miguel O’Hara, o Homem-Aranha 2099!

 

 

 

 

 

 

A história seguinte, agora escrita pelo Zeb Wells, começa com o Aranha chegando exausto em casa só pra ser recebido pelo Jameson, que arrasta o Aranha pra investigar um “som estranho” que ele anda ouvindo do lado de fora de casa, mas que ele investigou e pode envolver alguma consideração, e advinha só, o Jameson estava certo, pois o som é de um portal abrindo e um alien, acompanhado de “gremlins“, saem de lá e atacam o Aranha antes de sumir de novo, deixando as cores do uniforme do Aranha trocadas. A história termina com o Aranha dizendo que aquilo não foi um “Team-Up” (nome da história) e que o Aranha vai resolver aquele problema sozinho como um homem… a cena corta e a história termina com o Aranha pedindo a ajuda do Dr. Estranho, dando nos nervos do Estranho ao chamar àquilo de Team-Up.

 

 

Por fim, a última história, dos mesmos responsáveis pelo desenho Os Jovens Titãs em Ação, mostra a origem do Aranha ao ser picado por um Rádio Ativo Aranha e o Ben Tio ser morto pela Morte, e o mesmo com a ajuda de pombos indo pra estátua da liberdade enfrentar o Polvo Doutor, que o Aranha ataca com um pombo e Polvo rebate com ciência, mas o Aranha rebate a ciência com raiva e ganha, indo encontrar as namoradaS dele (no plural mesmo) até o Jameson, o Caçador estragar o encontro o mandado pegar aranhas do Homem-Foto.

 

 

 

 

 

Analise: enfim o Spencer retoma e soluciona alguns plots do Aranha que ele deixou em aberto o ano todo (faltou o da oferta de emprego da Norah), enquanto prepara terreno pra novos plots futuros… mas dane-se o Aranha, aqui quem rouba a cena é a MJ, que dá um verdadeiro show. A trama do Aranha é boa sim (embora mal desenhada pelo Ramos, que já vai tarde), mas a ruiva aqui mostra porque é não só uma ótima namorada do Aranha, mas uma ótima personagem como um todo.

As histórias paralelas também são interessantes e até divertidas, especialmente o prólogo do que deve ser o novo arco de Marvel Team-Up (que o Aranha deve retomar da Miss Marvel) e a história do Aranha ao estilo dos Jovens Titãs em Ação (com direito ao humor negro que eu amo nesse desenho).

Nota: 10,0

Sobre o Autor

Só mais um daqueles fakes da internet que por acaso também é fã do Homem-Aranha.

VÍDEOS

Navegador de Podcasts





PADRIM

Padrim3

Visite Nossa Loja Virtual

Loja Virtual

CANAIS

Feeds Twitter You Tube Instagram Facebook

Fan Page

9ª Arte