Gustavo Mannarelli On julho - 25 - 2019

Resenha: Web of Venom – Funeral Pyre #1

Atenção, esse post contem informações inéditas no Brasil e Estados Unidos.

O arauto de deus contra o arauto do capeta. Façam suas apostas!

Plot: A edição começa com a Andi, ex-Mania, tendo um pesadelo com o Simbionte, e após acordar com o susto, tendo uma manhã normal com a tia dela (detalhe pra uma caixa de leite com a foto de desaparecida da Donna Diego, a antiga Grito. Levando em conta que essa edição é do mesmo roteirista da minissérie da Grito em Carnificina Absoluta e que a Grito já morreu tem um tempo, o Cullen Bunn já está de parabéns em cronologia), e enquanto a mesma reflete sobre como ganhou e perdeu o simbiote, vemos a Andi indo ver os amigos no café e chegando tarde no trabalho pra tomar bronca do chefe, em ambas as situações tendo alucinações com o Simbionte matando todo mundo, o que ela assume ser a “dor de membro fantasma” (no caso “simbionte fantasma“), fazendo ela sair cedo do trabalho, tudo enquanto é seguida por alguém…

 

 

Chegando em casa, a Andi é recebida pela tia agindo de forma estranhamente menos tagarela, e eis que a mesma se parte ao meio e quem saí de dentro é o Carnificina (como ele coube lá?!) e a ataca. A Andi foge ferida achando ser outra alucinação, mas depois de topar com um vizinho e o mesmo ser morto pelo Carnificina, a mesma tem agora certeza que tudo é real e tem um psicótico atrás dela.

 

 

 

 

 

 

A Andi consegue fugir até um parque, mas o Carnificina a encontra, revelando conseguir sentir o cordex (fragmento de simbionte na coluna dela), mas eis que a Andi revela não estar indefesa, pois como vimos em Corporação Venom, mesmo sem o Simbionte, a Andi ainda tem a marca do inferno do Mefisto, que a permite invocar um exército de demônios pra atacar o Cletus, mas como o Carnificina também tem uma maldição (do Tomo Negro como visto na minissérie dele do Gerry Conway) que o torna imune ao fogo e som, a Andi é forçada a se tornar ela própria um demônio pra enfrentar o assassino psicótico.

Ambos então começam a se enfrentar na porrada, com a Andi ainda acompanhada de um exército de demônios, mas ainda sim ela leva a pior, sendo empalada pelo Carnificina, o que a obriga a fugir de lá por um portal demoníaco, que a faz voltar ao normal e a leva até Nova Iorque, para se encontrar com o atual Venom, pra pedir a ajuda dele. A edição se encerra com o Carnificina terminando de matar os demônios e falando que a fuga dela é inútil, afinal a próxima parada do Carnificina ia ser justamente Nova Iorque, enquanto a Andi consegue sentir o mesmo se aproximando pra matá-la eventualmente.

Analise: Foi uma edição divertida, com muita porrada e cenas de horror gore, mas ainda sim não é nada que fará diferença na megassaga que se segue (dava pra resumir isso num flashback de uma página, e tenho certeza que farão isso). É mais uma edição pra quem é fã da Mania mesmo matar a saudade… então, algum fã?… oi?…

Nota: 6,0

Sobre o Autor

Só mais um daqueles fakes da internet que por acaso também é fã do Homem-Aranha.

VÍDEOS

Navegador de Podcasts





PADRIM

Padrim3

Visite Nossa Loja Virtual

Loja Virtual

CANAIS

Feeds Twitter You Tube Instagram Facebook

Fan Page

9ª Arte