Gustavo Mannarelli On agosto - 8 - 2019

Resenha: The Sensational Spider-Man: Self Improvement #1

Atenção, esse post contem informações inéditas no Brasil e Estados Unidos.

Descubra a origem original do Uniforme Negro com Peter David, e se questione o que o Peter faria sem seus poderes com Tom DeFalco.

Plot: A edição começa com o Aranha sendo queimado vivo pelo Inferno (não o local, o vilão) enquanto serve de escudo humano pra uma mulher numa galeria, que apaga o fogo do Aranha… com uma mangueira… de incêndio. Quando o Inferno está prestes a dar cabo do Aranha, eis que aparece o Tocha Humana pra salvar o Aranha e o Inferno se manda enquanto o Tocha ajuda o Aranha e interroga a mulher, que se faz de desentendida. Na base do Quarteto o Aranha está sendo tratado pelo Reed num tanque enquanto o Aranha diz que só foi pra exposição de arte tirar fotos quando a Sorte do Parker atacou, e já que o uniforme de Aranha foi destruído pelo fogo, o Reed decide dar um presentinho pro Aranha.

 

 

 

 

Depois de testar a nova roupa de moléculas instáveis com lançadores de teia acoplados, o Sr. Fantástico descobre que a mulher da exposição é a ex-esposa e mãe da filha do Inferno, que recentemente se mudou pra despistar o ex, então o Aranha decide ir até a casa dela prevendo a desgraça, mas ao sair do prédio o Aranha acaba se atrapalhando com as novas teias do suvaco, e ao tentar se prender com a teia, acertando um helicóptero e quase o derrubando no prédio do Clarim Diário (preciso dizer que isso é um prato cheio pro Jameson?).

 

 

 

 

 

Enquanto isso, na casa da ex, o homem da casa chega, revelando que a ex roubou a grana do Inferno enquanto ele estava na cadeia e a força a devolver pelo computador, enquanto o Aranha invade a casa pelo quarto da filha pequena, dando um susto na menina, que foge de medo até onde os pais estão, que ao tentar abraçar a filha, descobre que mãe mentiu sobre o pai estar vivo, endurecendo tanto o Inferno que se não fosse o Aranha, a menina ainda teria que lidar com o trauma de ver a mãe ser incendiada na frente dela. Graças as moléculas instáveis, o Aranha resiste às chamas e derrota o Inferno, mas a guria continua aterrorizada com o Aranha. A história termina com o Aranha devolvendo a roupa pro Reed, deixando um bilhete agradecendo, mas que ele de vermelho e azul já tem problemas suficientes com o público, enquanto em seu apartamento, o Peter passa pela provação mais difícil da sua já bem sofrida vida: costurar uma nova roupa.

 

Na 2ª história da edição, vemos o Aranha salvando um emprego numa construção enquanto pensa como ele às vezes ama ser o Homem-Aranha, até que ouve um tiroteio, onde um senhor ao lado de um jovem é baleado por alguém num carro. O Aranha coloca um rastreador no carro e vai acudir o senhor, mas esse já está morto, e o sobrinho dele se culpa. O Aranha pede então pra um civil de celular chamar ajuda enquanto ele parte atrás dos assassinos, refletindo sobre a origem dele e como ele poderia salvar o tio se ele não tivesse super-poderes.

 

 

 

 

 

Chegando ao enconderijo, o Aranha ouve a gangue discutindo, onde descobrimos que o moleque de antes era membro dela até o tio tentar colocar o moleque no bom caminho lhe arranjando um emprego honesto, e por não admitir que o moleque saia, o chefe decide matar o tio (sim, essa decisão é bem questionada pela gangue), mas nisso eles ouvem o Aranha se movimentando, e vão atrás do invasor, enquanto o Aranha apaga cada um deles no escuro enquanto reflete que ao contrário do moleque, o tio dele morreu porque ele tentou fazer a coisa certa.

 

 

 

 

 

O Aranha estão enfrenta o chefe da gangue, desviando facilmente das balas, mas quando vai prendê-lo, o moleque de antes aparece com uma arma pra vingar o tio. O Aranha tenta discutir com ele, mas o moleque confunde o Aranha com o Batman e nisso o Aranha revela que sabe o que o moleque está passando, que se importa sim e que a melhor forma de honrar o tio é seguindo a vontade dele, e não comentando um erro maior ainda. A edição termina com a polícia prendendo todo mundo enquanto o moleque e o Aranha assistem de longe. O moleque ainda se culpa pelo que aconteceu, mas o Aranha diz que a vida é cheia de escolhas ruins que a gente tem que conviver, alguns fáceis de superar e outros… bem… o moleque vai embora se perguntando como conviver com a culpa e se um dia ela vai embora, e o Aranha só em silêncio, olhando pro vazio.

 

 

Analise: Primeiro temos a história título, que mostra a proposta original do fã que criou o design do uniforme negro (a edição inclui o “roteiro” original do mesmo. Não preciso nem dizer, é o Peter David. Trama legal, com destaque pra dinâmica das personagens e os diálogos. A arte também não fica atrás o que proporciona uma leitura divertida… e aí temos a 2ª história.

Eu nunca escondi: pra mim o melhor roteirista que o Aranha já teve foi o Tom DeFalco, e nessas 10 páginas ele mostra o porquê, criando uma história simples, sem super vilões, mas ainda sim com ótima ação (Ron Frenz também continua afiado) e drama, trazendo um questionamento diferente (se o Peter nunca tivesse virado o Aranha, o ladrão ainda invadiria a casa dele e poderia matar o Tio Ben. O que um Peter sem poderes poderia fazer se isso acontecesse?). É aquela história que começa prometendo nada e termina fazendo você pensar, mesmo que um pouco.

Nota: 11,0 (10 é pouco pra essa edição. Leia ela, sério)

Sobre o Autor

Só mais um daqueles fakes da internet que por acaso também é fã do Homem-Aranha.

VÍDEOS

Navegador de Podcasts





PADRIM

Padrim3

Visite Nossa Loja Virtual

Loja Virtual

CANAIS

Feeds Twitter You Tube Instagram Facebook

Fan Page

9ª Arte