Gustavo Mannarelli On agosto - 14 - 2019

Resenha: Amazing Spider-Man #27

Atenção, esse post contem informações inéditas no Brasil e Estados Unidos.

Lute contra a representatividade e colegas de apartamento pau no c#.

Plot: A edição começa com o novo Sindicato Sinistro atacando o Projeto F.E.S.T.A. pra matar o Bumerangue à mando do Rei do Crime e ele fica feliz em vê-las. Embora feliz pelo sucesso da companheira, a mesma não está feliz devido as traições do mesmo durante Inimigos Superiores do Homem-Aranha (como se ela não tivesse aprontado nada), mas o Fred tenta lembrá-la dos bons tempos… pena que a Electro aparece e eles não tem bons tempos. O resto do Sindicato também quer matá-lo por ter ousado cantar elas no Bar Sem Nome, com exceção da Ardilosa, que gosta de violência mesmo.

 

 

 

 

Por sorte o Aranha aparece (depois de deixar a Tia May em segurança), e embora apoie a causa feminista, crime é crime, então ele e o Bumerangue começam a descer a porrada na mulherada. Infelizmente o Sindicato Sinistro teve tempo de treinar o trabalho em equipe, enquanto o Aranha e o Bumerangue mais parecem ter treinado com os Três Patetas, com o próprio Bumerangue nocauteando o Aranha e a mulherada levando o Bumerangue, mas deixando o Aranha pra trás porque não “fazem assassinado bônus” (a falha enorme do tino comercial, pois se ao menos levassem o Aranha junto, podiam cobrar um Rei gordo do bônu… bônus gordo do Rei, me desculpem).

 

 

 

 

Na base do Sindicato, o grupo comemora o 1º trabalho bem sucedido, enquanto a Besouro deixa o Fred  de brinquedinho pra Electro, que fica até emocionada de alguém pedir a opinião dela sobre o que fazer em vez de só dar ordens como os chefes antigos desde que virou vilã (bem vinda ao mercado de trabalho), enquanto o Sindicato conta seus “dramas” como cidadãs de 2ª classe no mundo do crime (meio trivial). Enquanto a Besouro se retira pra conversar com o Rei, prometendo entregar o Bumerangue à ele enquanto vai embora dando a entender que já já passara a perna na própria equipe (a discípula apreendeu bem com o mestre).

 

 

 

 

Por fim o Homem-Aranha acorda ao lado da Tia, e decide ir atrás do Fred enquanto a véia fica pra cuidar do que restou do F.E.S.T.A. (essa véia só se ferra), revelando que deixou um rastreador na roupa dele láááá no 1º arco do Spencer, e já que o Bumerangue não é um exemplo de higiene, bem provável estar lá ainda, mas ao ir pegar um aparelho pra rastrear à longas distâncias, ele se depara com uma trairagem, inconsequência e prova de mal-caratismo inimaginável: o Randy de pegação com a namorada que ele vinha escondendo, que é ninguém menos que a Besouro!

 

 

 

 

Analise: Pois bem, uma edição legal. Com exceção da Escorpiã, tá difícil de simpatizar com o novo Sindicato Sinistro, afinal elas são aquele clichê chato de hipster, vegano e feminista radical, com a Coelha Branca mal abrindo a boca a edição inteira. Por sorte o Bumerangue e o Aranha ainda estão divertidos. Tomará também que a Besouro esteja de tramóia, porque forçar a personagem à ser uma lider feminista não tá funcionando bem (afinal em toda a história dela ela nunca foi um exemplo de empatia).

Agora precisamos falar no Randy com a Besouro: MAS QUE DIABOS?!!! FDP!!!! Mas falando sério, o cara tá pegando a filha do Lápide. Sabem quem é o Lápide? É o cara que não só fez a infância do pai dele um inferno, como quase o aleijou, jogou na cadeia e quase matou em mais de uma ocasião, sendo que, sim, ele obviamente sabe que a filha seguiu os passos do papaizinho dela. Se isso virar um Romeo & Julieta genérico, juro que vou vomitar.

Nota: 5,5 (tirei 2 pontos só pela última página)

Sobre o Autor

Só mais um daqueles fakes da internet que por acaso também é fã do Homem-Aranha.

VÍDEOS

Navegador de Podcasts





PADRIM

Padrim3

Visite Nossa Loja Virtual

Loja Virtual

CANAIS

Feeds Twitter You Tube Instagram Facebook

Fan Page

9ª Arte