Gustavo Mannarelli On outubro - 23 - 2019

Resenha: Amazing Spider-Man #32

Atenção, esse post contem informações inéditas no Brasil e Estados Unidos.

O Futuro está esquecido… ah, e morrendo também.

Plot: A trama começa com um cotidiano desastre ambiental envolvendo uma petrolífera, da Roxxon dessa vez, que explodiu depois de algo cair nela (lá na ASM #25). A causa então começa a ter alucinações com a Marilyn Monroe mandando ele acordar, até que depois dela gritar ele acorda. No caso a causa é o Homem-Aranha 2099 (a Marilyn é a Lyla, pra quem não entende referencia), que se vê num laboratório da Roxxon, prestes a ser dissecado vivo. Enquanto isso, pra variar, embora alguns executivos da Roxxon não estejam nada felizes com as perdas e danos, um deles está bem animado ao descobrir que esse Aranha é do futuro, pretendendo usar o mesmo pra roubar e patentear tecnologia do futuro (QUE TIPO DE MONSTRO CORPORATIVO IMORAL FARIA ALGO TÃO DESPREZÍVEL?!!!).

 

 

Pulamos então pro Peter, distraído pensando na MJ, Rei do Crime e Kindred enquanto está na faculdade fazendo um trabalho em grupo, e conhecendo o Peter, já deve imaginar como é: o Flash Thompson do grupo dando um dando uma bullyinada do Peter ser mais velho e ameaçando ele pra não cometer plagio no trabalho. Pra diminuir o bullying, chegar mais um colega de trabalho trazendo consigo o possível ultimo webware, aquele relógio das Industrias Parker feito com tecnologia do futuro que o Peter roubou e patente… ouh… enfim, retiro o que disse, o moleque novo dá uma bullyinada mais passivo-agressiva, comparando o webware à hoverboard explosivo, e tirando sarro do resto do pessoal da mesa. Quando eles enfim param de se magoar e começam a focar no trabalho, o alarme de incêndio toca e a responsável é a Teresa Parker, chamando a ajuda do irmãozão (onde ela estava nos últimos 5min?).

 

 

Como visto na edição #29, a Teresa tá com “sangue nos olhos” atrás do Camaleão, que enfim achou o mesmo em alguma zona industrial, entregando pra ninguém menos que o Estrangeiro (lembra dele?) uma maleta cheia de Formula do Infinito (o elixir da vida eterna da Shield), o que faz o Aranha e a Teresa saírem matando quase sem cerimonias nos capangas do Estrangeiro. Enquanto o Estrangeiro chama um grupo de Halloweens pra partir pra cima da galera, a Teresa vai direto atrás do Camaleão enquanto o Aranha peita o Estrangeiro, que diz ter evitado o Aranha nos últimos anos por gostar do mesmo. Começa então um quebra pau legal de ambos até que o Aranha toma um tiro nas costas de ninguém menos que a ex-mulher do Estrangeiro, a Silver Sable.

 

 

 

Voltamos então pra um Miguel O’Hara completamente desorientado, lembrando com os berros da Lyla o que fez ele voltar pro passado (que envolve o Destino 2099), conseguindo se soltar e abrir caminho na porrada pela Roxxon, até chegar do lado de fora. Infelizmente ele sai pela janela do arranha-céu da Roxxon, e como ele está ainda desorientado, não consegue nem pre grudar ao prédio, indo em direção ao asfalto (sorte que um táxi amortece a queda), encerrando a edição.

 

 

 

 

 

 

Analise: E temos um começo bem curioso de uma nova megassaga comemorativa. Além do roteiro apresentar todo o pessoal que vai participar, ainda deixa uma curiosidade sobre o que está realmente acontecendo. Mas o destaque nessa edição fica mesmo pro novo desenhista recém-roubado da DC, o Patrick Gleason, que manda muito bem com uma arte além de excelente, bem diferente da que andamos vendo nesse titulo em anos.

Nota: 8,0

Sobre o Autor

Só mais um daqueles fakes da internet que por acaso também é fã do Homem-Aranha.

VÍDEOS

Navegador de Podcasts





PADRIM

Padrim3

Visite Nossa Loja Virtual

Loja Virtual

CANAIS

Feeds Twitter You Tube Instagram Facebook

Fan Page

9ª Arte