Gustavo Mannarelli On outubro - 30 - 2019

Resenha: Superior Spider-Man #12

Atenção, esse post contem informações inéditas no Brasil e Estados Unidos. 

Já tinha passado da hora de retornar às origens!

Mas antes recapitulando o que andou acontecendo nessa série: o Superior conseguiu criar um status de herói das multidões, além de estar namorando e se dando bem no trabalho… até o Norman Osborn (de outra dimensão) aparecer pra ferrar tudo. Depois de expor  a farsa do Octopus, sequestrar alguém querido do Otto e fazer ele arregar (acho que já li isso antes). Com isso o Otto, desesperado pra salvar a vida de um ente querido, esse Aranha faz o que qualquer um faria nessa situação: um pacto com o Mefisto (ok, eu definitivamente já li isso). Depois de não conseguir barganhar, o Otto acaba aceitando a proposta do Mefisto dele voltar a ser o Doutor Octopus clássico, e se vendo sem alternativas, o Otto acaba sacrificando seu velho eu pra que o Norman pudesse ser detido pelo clássico Homem-Aranh… digo, Doutor Octopus (tô até confundindo as histórias de tão parecidas). Agora acabado o resumo, vamos logo pra essa última edição, que eu tenho um túmulo superior pra sapatear!

Plot: A edição começa com o Norman Osborn (aqui um Homem-Aranha de outra dimensão que aparece em Aranhagedom) com o refém dele, um moleque que o Otto tinha salvado a vida edições atrás, esperando o Otto cumprir a barganha deles do Otto matar 3 inocentes pela vida do guri. O Otto então entra no apartamento com um mendigo gordo, só que quando o Norman chega perto pra verificar… AH, PEGADINHA DO POLVO MALANDRO!!!! O Otto estava usando o velho corpo clonado dele como fantoche de carne (graças à um Aranhabô) e enquanto revela que os Aranhabôs dele já estão se encarregando do comparsa do Norman (outro Homem-Aranha de Aranhagedom… sério, não leiam), o Norman decide matar o guri jogando da pont… apartamento, mas o Otto nem liga.

 

 

 

O Otto então liga as câmeras dos drones dele e tem início a luta, com o Norman se gabando de ter poderes e a vantagem de mais braços, só pro Otto mostrar que é dele a vantagem, já que o Octopus trouxe 3 conjuntos de tentáculos antigos dele pra luta, um deles com o guri ainda vivo, todos controlados mentalmente (e sim, ele diz que pode controlar todos devido seu cérebro “superior“) pro espanto do Norman. O Norman é facilmente imobilizado e tem todos os ossos quebrados pelo Otto, que deixa claro que ele nunca vai se recuperar já que ele foi cirurgicamente preciso no que quebrou. Depois de pegar o pedaço da Teia da Vida que o Norman usou pra ir pra aquele universo pra jogar o mesmo de volta na dimensão dele, o Otto já avisa que ele não é mais o velho Aranha Superior, mas chama pro pau qualquer um que tiver contas à acertar com o velho eu dele.

 

 

Após isso, num hospital, a ex-namorada do Otto (a Anna Maria) diz pra atual namorada do Otto (a Emma) que o Octopus sumiu após o incidente e que é melhor ela nem ver o que ele virou, mas como o Otto é que nem o diabo: não pode falar o nome que ele já mostra o… já sabem. Otto chega avisando que ele não lembra nada da primeira vida Superior dele (sortudo…), incluindo a identidade secreta do Aranha, mas lembra bastante da segunda (AH-AH!) quando a Emma cai no choro, ele a acusa de se apaixonar por ele só por ser belo e rico. A Emma diz que ela não liga pra beleza e dinheiro e que ela amava o Otto pelo que era, e vendo a chance se alfinetar o Peter Parker por ser superficial e só namorar modelos e Gatas Negras (ele também já namorou muita secretaria, tá!), a Anna Maria se mete na conversa e confronta o Otto pelo motivo dele ter ido ver elas (que ele sim se importa e no fundo quer voltar à vida Superior), e que ele ainda é bom e pode voltar a ser um herói se quiser, com a Emma implorando pra ele ficar. No fim o Otto manda elas se afastarem e vai embora chorando, mostrando que a Anna tava certa (até o próximo roteirista esquecer isso tudo).

 

A edição encerra então com o funeral da velha identidade do Otto supostamente morta na luta do Octopus com o Norman, o Elliot Tolliver (que já tinha sido exposta pelo Norman, o que torna tudo uma grande palhaçada ). Pulando o choro do Max e da Emma, vemos o Otto passando pelo próprio enterro e só pra entregar um pagamento pro ex-capanga dele em São Francisco (e coveiro nas horas vagas), Escavador, em troca dos velhos capangas nunca mais se meterem com ele (e nem pensarem em pagar as contas do hospital dos Irmãos Grimm, que trocaram o Otto pelo Norman nesse final). Ao ser perguntado sobre a identidade superior ele, o Octopus diz estar cansado de tentar mudar coisas que não podem ser mudadas (não é o único), indo embora numa referencia à Homem-Aranha Nunca Mais. Fim.

 

 

 

Analise: ALELUIA!!!! JÁ TAVA NA HORA DESSA ENROLAÇÃO ACABAR!!!! Mas sério gente, é a Saga do Clone tudo de novo: um sucesso comercial com roteiro mais ou menos espremido por anos e anos até não sobrar nem o bagaço. Já começou ruim roubando o plot da Última Caçada de Kraven e adaptando pra um público infantil, piorou quando quiseram vender mesmo o Octopus como herói e sujeito decente lá no fundo (esse maníaco já flerta pelo genocídio em massa desde os anos 80 quando tentou envenenar Nova Iorque com tinta de jornal) e só decaiu ainda mais quando continuaram insistindo nisso achando que vendia no começo porque o personagem é bom assim e não porque o povo tava esperando o Peter de verdade voltar na edição seguinte (ele tem fãs sim, mas levando em conta que esse titulo foi cancelado por vender mal…). Enfim, foi uma edição até bem escrita e desenhada. Legal, curti… mas precisava mesmo o Otto mudar tanto pra vencer o Norman daquela maneira?

Nota: 7,5

Sobre o Autor

Só mais um daqueles fakes da internet que por acaso também é fã do Homem-Aranha.

VÍDEOS

Navegador de Podcasts





PADRIM

Padrim3

Visite Nossa Loja Virtual

Loja Virtual

CANAIS

Feeds Twitter You Tube Instagram Facebook

Fan Page

9ª Arte