Gustavo Mannarelli On novembro - 22 - 2019

Resenha: 2099 Alpha #1

Atenção, esse post contem informações inéditas no Brasil e Estados Unidos.

O futuro pertence ao Destino!

Plot: A trama começa no O Ravage, com uma criança correndo e cruzando com o Mjolnir. O martelo atrai ela por ela ser digna, mas ao ver com o olho que tá crescendo no meio do cabelo dela um grupo de mutantes se aproximando, ela foge sem tocar no mesmo. Pulamos pro Brooklyn, com um confronto entre o Olho Público (e mais especificamente o oficial Jake Gallows) com os membros da Igreja de Thor, onde ele discute com o apoio sobre a empresa E.C.O., uma doença que faz o cranio pegar fogo e a injeção milagrosa chamada Venom, enquanto eles vencem o conflito e dão de cara com alguém sendo enforcado pelo Martelo.

 

 

 

 

Vamos então pra Alchemax, onde o Miguel e o Tyler Stone, onde ambos discutem sobre o Projeto Raider (que deu poderes ao Miguel) e sobre as aplicações do mesmo, enquanto o Miguel relembra a parte onde o projeto criou uma aranha mutante que quase mata ele. Enquanto vemos o Conan 2099 (suspiro…) matando geral, vemos que essas cenas aparentemente aleatórias são o que o Doutor Destino está assistindo, usando ninguém menos que o Uatu, o Vigia preso à uma maquina pra mostrar tudo. Vemos que no passado o Destino teve que fazer algo terrivel envolvendo um conflito de super-heróis pra salvar o mundo,e ele está usando o Uatu pra se preparar pra algo que está à caminho.

 

 

 

 

Pulamos então pra Cidade Transversa, onde duas pessoas chegam à mesma, e vemos que uma delas passou a perna na outra pra roubar toda a grana dele, fazendo ele se acidentar, o que chama a atenção de um certo Ciborgue da Vingança. Vemos então o Herbie entrando num bar, atrás da “e” dele, onde ele quase é desmontado por uns pinguços até ser salvo pela Venture (sim, mulher), que depois de matar os pinguços é contratada pelo Herbie pra ajudar achar a “e” dele, enquanto o Destino, assistindo tudo, diz que o Herbie nunca vai conseguir.

 

 

 

 

 

Temos então com o Destino descobrindo pelo Uato sobre a existência de um Destino farsante que o real pretende se encarregar.  A edição termina com o Uatu falando que o Destino nunca fez nenhum sacrifício nobre no passado, que foi tudo por orgulho, fazendo ele ser castigado pelo Destino, que parte, mas não sem antes do Uatu avisar que ele não pode controlar a natureza humana, tudo enquanto vemos os personagens principais desse evento, o que encerra a edição.

 

 

 

 

 

 

Analise: Nada mal pra um prequel dos one-shots que estão à caminho. A trama só faz uma apresentação básica dos personagens principais, mas é divertida pra quem curte o universo do eterno ano de 2099. A arte também é muito boa, lembrando o Greg Capullo, e combina bem com a ambientação Blade Runner desse futuro distópico.

Nota: 7,5

Sobre o Autor

Só mais um daqueles fakes da internet que por acaso também é fã do Homem-Aranha.

VÍDEOS

Navegador de Podcasts





PADRIM

Padrim3

Visite Nossa Loja Virtual

Loja Virtual

CANAIS

Feeds Twitter You Tube Instagram Facebook

Fan Page

9ª Arte